Osteopatia

A Osteopatia é um tratamento que surgiu nos EUA, criado por Andrew Taylor Still, que viveu entre 1828 e 1917, que apresentou os princípios desta terapia.
É um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).
De acordo com Andrew Still, o corpo humano é um sistema capaz de se auto-regenerar, o fisioterapeuta osteopata busca eliminar os fatores que o impedem de funcionar de forma saudável. Assim, cientificamente a Osteopatia baseia-se na anatomia e simultaneamente recorre a uma visão global do corpo humano.

Os princípios básicos da Osteopatia são:
• O CORPO É UMA UNIDADE, tratar o indivíduo como um todo, não apenas o seu sintoma ou doença. Relação com aspectos psicoemocionais, bem como condições físicas e nutricionais.
• A AUTO CURA, o corpo tem mecanismos de auto- regulação, a busca do equilíbrio dos sistemas para que o corpo recupere.
• A ESTRUTURA GOVERNA A FUNÇÃO, quando a estrutura está em disfunção, podendo ser articular, visceral, muscular, a função da região poderá alterar-se, logo pode aparecer os sintomas.
• A LEI DA ARTÉRIA, qualquer tipo de tecido só pode funcionar bem se estiver bem vascularizado. Um bom fluxo de sangue, livre de bloqueios, que impeçam a sua normal circulação, mantém os tecidos em harmonia.
A Osteopatia pode tratar as doenças mais frequentes, como ciáticas, lombalgias, dorsalgias, cervicalgias, escolioses, hérnias discais, entorses, tendinites, epicondilites, síndromes do túnel do carpo, problemas da articulação temporo-mandibular (ATM), tensões e contraturas musculares.
Contribui também no tratamento de enxaquecas, insónias, depressão, vertigens, zumbidos, labirintites, sinusites, tensão pré-menstrual, stress, problemas respiratórios e problemas digestivos.
A Osteopatia pode ser aplicada desde o recém-nascido até o idoso.
A técnica chegou no final dos anos 1980 no Brasil, onde é reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) como uma Especialidade da Fisioterapia.